05 práticas lean construction de pcp

05 PRÁTICAS LEAN DE PCP | Padronização e Análise de Processos

Está será uma sequência de 3 posts aqui no SK Blog, ensinando Práticas Lean Construction de Planejamento e Controle da Produção (PCP). Vamos lá para Parte 1?


Você já pensou em avaliar se o sistema de Planejamento e Controle da Produção (PCP) praticado em suas obras segue os conceitos e práticas da Lean Construction?

Em 2002, os professores Maurício Bernardes e Carlos Formoso, ambos referência em PCP Lean, publicaram um artigo muito interessante, no qual apresentam um conjunto de 14 práticas gerenciais que podem ser utilizadas para a avaliação de sistemas de PCP em construtoras.

Segundo os autores do artigo, uma prática é definida como “uma atividade que deve ser desenvolvida durante a implementação dos sistemas de planejamento, cuja realização possibilita a melhoria do desempenho da produção”.
No blog de hoje, apresentamos 5 práticas descritas no artigo. São elas:

1 Padronização do PCP

Padronizar o processo de PCP por meio de procedimentos ou manuais facilita o treinamento dos colaboradores e contribui para a consistência na aplicação do PCP em diferentes obras. Vale ressaltar que é preciso treinar os envolvidos nesse processo a respeito do conteúdo desses manuais.

2 Hierarquização do planejamento

Para lidar melhor com a complexidade e incerteza inerentes ao setor da construção, recomenda-se o estabelecimento de níveis de planejamento (longo, médio e curto prazo). Cada nível possui seus objetivos e nível de detalhe. Em termos simples, quanto maior o horizonte de planejamento, menor deve ser o nível de detalhamento das atividades no plano e vice-versa.

3 Análise e avaliação qualitativa dos processos

O primeiro passo para melhorar um processo é entender como ele é feito atualmente, pois é necessário estabelecer uma base de referência. Para isso, é preciso observar o processo para compreender suas características, performance atual, problemas e oportunidades de melhoria. Ir ao gemba (local onde as coisas acontecem), conversar com os operários e engajá-los por meio de reuniões semanais para análise dos dados coletados em campo é fundamental.

4 Análise dos fluxos físicos

Reduzir as perdas inerentes ao processo produtivo é o principal objetivo da análise dos fluxos de insumos e recursos que abastecem a produção. Para isso, recomenda-se o uso de técnicas de mapeamento (mapofluxogramas, por exemplo) que ajudem o gestor a visualizar tais fluxos no canteiro de obras e, com isso, identificar e prevenir perdas, além de evitar interferências entre as equipes de campo.

5 Análise de restrições

Proteger a produção das incertezas quanto à disponibilidade de recursos como, por exemplo, material, mão de obra, equipamentos e projetos e quanto à indefinição de decisões ligadas à segurança do trabalho, logística, qualidade, etc. é fundamental para o alcance da estabilidade na produção. Essa é uma prática super importante para permitir a continuidade das operações em campo e melhoria da eficácia do PCP. Vale lembrar que essa análise precisa ser feita de forma colaborativa, ou seja, junto com os envolvidos no projeto e não somente pela engenharia da obra.

Para refletirPARA REFLETIR

Sugerimos que você faça um comparativo das práticas acima com o processo de PCP utilizado atualmente em suas obras. Isso servirá como um diagnóstico e te indicará pontos de atenção e melhoria.

Mãos à obra!

Na próxima semana, abordaremos mais 5 práticas Lean de PCP. Fique ligado!

Até lá!

 


Referência:

2002. Bernades, M.M.S e Formoso, C.T. Diretrizes para avaliação de sistemas de planejamento e controle da produção de micro e pequenas empresas de construção. In: Encontro Nacional do Tecnologia do Ambiente Construído (ENTAC). Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil. 10p.


 

Aprenda Lean Com Quem Entende Do Assunto

Aproveite para garantir sua vaga na nossa lista de espera para os próximos cursos da SK.